logo
Filhas e filhos da alma!

Retrospectiva Íntima

Ante a Palavra do Cristo

Quando Deus Criou as Mães

O perfume do bem

Planejamento

Mais Mensagens...
Inicial
Nossa História
O que é o Espiritismo
Conheça Allan Kardec
Obras Básicas
Departamentos
Horários de Funcionamento
Palestras
Boletim do Caminho
Clube do livro
Livraria
Notícias
Artigos
Biografias
Mensagens
Mídia Espírita
Galeria de imagens
Outros sites
Fale Conosco

Siga-nos no Twitter
@SECAD_
/O-que-e-o-Espiritismo/Principios-Basicos-do-Espiritismo-codificados-por-Allan-Kardec/

Princípios Básicos do Espiritismo, codificados por Allan Kardec

 Deus é a inteligência suprema e causa primária de todas as coisas. É eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom.
 Universo é criação de Deus. Abrange todos os seres racionais e irracionais, animados e inanimados, materiais e imateriais.
 Além do mundo corporal, habitação dos Espíritos encarnados (homens), existe o mundo espiritual, habitação dos Espíritos desencarnados.
 No Universo há outros mundos habitados, com seres de diferentes graus de evolução: iguais, mais evoluídos e menos evoluídos que os homens.
 Todas as leis da Natureza são leis divinas, pois que Deus é seu autor. Abrangem tanto as leis físicas como as leis morais.
 O homem é um Espírito encarnado em um corpo material. O perispírito é o corpo semi-material que une o Espírito ao corpo material.
 Os Espíritos são seres inteligentes da criação. Constituem o mundo dos Espíritos, que preexistem e sobrevive a tudo.
 Os Espíritos são criados simples e ignorantes. Evoluem, intelectual e moralmente, passando de uma ordem inferior para outra mais elevada, até a perfeição, onde gozam de inalterável felicidade.
 Os Espíritos preservam sua individualidade, antes, durante e depois de cada encarnação.
 Os Espíritos reencarnam tantas vezes quantas forem necessárias ao seu próprio aprimoramento.
 Os Espíritos evoluem sempre. Em suas múltiplas existências corpóreas podem estacionar, mas nunca regridem. A rapidez do seu progresso, intelectual e moral, dependem dos esforços que faça para chegar à perfeição.
 Os Espíritos pertencem a diferentes ordens, conforme o grau de perfeição a que tenham alcançado: Espíritos puros, que atingiram a perfeição máxima; Bons Espíritos, nos quais o desejo do bem é o que predomina; Espíritos Imperfeitos, caracterizados pela ignorância, pelo desejo do mal e pelas paixões inferiores.
 As relações dos Espíritos com os homens são constantes, e sempre existiram. Os bons Espíritos nos atraem para o bem, nos sustentam nas provas da vida e nos ajudam a suportá-las com coragem e resignação. Os imperfeitos nos impelem para o mal.
 Jesus é o guia e modelo para toda a humanidade. E a Doutrina que ensinou e exemplificou é a expressão mais pura da Lei de Deus.
 A moral do Cristo, contida no Evangelho, é o roteiro para a evolução segura de todos os homens, e a sua prática é a solução para todos os problemas humanos e o objetivo a ser atingido pela humanidade.
 O homem tem o livre-arbítrio para agir, mas responde pelas conseqüências de suas ações.
 A vida futura reserva aos homens penas e gozos compatíveis com o procedimento de respeito ou não à Lei Divina ou Natural.
 A prece é um ato de adoração a Deus. Está na lei natural, e é o resultado de um sentimento inato do homem, assim como é inata a idéia da existência do Criador.
 A prece torna melhor o homem. Aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. É este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.
 


Doutrina Espírita

Vídeo - O Espiritismo - De Kardec Aos Dias De Hoje

Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita

Prática Espírita

Vocabulário Espírita

© Sociedade Espírita Caminho de Damasco (Santa Rosa - RS) - Sítio Eletrônico