logo
Filhas e filhos da alma!

Retrospectiva Íntima

Ante a Palavra do Cristo

Quando Deus Criou as Mães

O perfume do bem

Planejamento

Mais Mensagens...
Inicial
Nossa História
O que é o Espiritismo
Conheça Allan Kardec
Obras Básicas
Departamentos
Horários de Funcionamento
Palestras
Boletim do Caminho
Clube do livro
Livraria
Notícias
Artigos
Biografias
Mensagens
Mídia Espírita
Galeria de imagens
Outros sites
Fale Conosco

Siga-nos no Twitter
@SECAD_
/Biografias/Ana-Borela-de-Oliveira/

Ana Borela de Oliveira

 

Grandes Vultos do Espiritismo

Ana Borela de Oliveira - ou Anita Borela, como é mais conhecida - é um dos grandes vultos do Espiritismo da Zona da Mata de Minas Gerais, onde se destacou por sua bondade, pelo amor que dedicava aos seres humanos e pela imensa abnegação com que se entregou ao trabalho em prol dos desvalidos.

Sua vida tem lances de heroísmo, sacrifício e renúncia que evidenciam a grandeza do seu Espírito e a firmeza da sua fé espírita.
 
Anita nasceu em Leopoldina (MG) em 5 de janeiro de 1909, sendo filha de italianos. Em 1927, quando contava 18 anos, casou-se com Astolfo Olegário de Oliveira, passando a residir na vizinha cidade de Astolfo Dutra (MG), na época um pequeno distrito chamado Porto de Santo Antônio.
 
 
Seu marido tornou-se espírita em 1932 e ela admirou-se com sua transformação e com as idéias novas que esposava. Em breve, porém, ele e toda a pequena comunidade espírita da cidade passaram a sofrer violenta perseguição do clero local, suportada bravamente por eles, com paciência e humildade.
 
 
Era tão grande a firmeza que demonstravam, que Anita, solidarizando-se com eles, passou a defender e ao mesmo tempo a admirar profundamente o Espiritismo. É que intimamente ela, embora não o soubesse, já era espírita.
 
Sendo muito sensível às injustiças e aos sofrimentos, era possuidora de uma energia inquebrantável. Quando alguns católicos mais extremados começaram a apedrejar a sua casa, nos dias de procissão, reunia os filhos (alguns ainda bem pequenos) e ia com eles para a varanda da casa, disposta a enfrentar na própria face o apodo e a afronta, em nome da fé que já então esposava de todo o coração.
 
 
Por essa ocasião a mediunidade de Anita aflorou com um potencial que expressava bem as suas aquisições espirituais do pretérito. Intuição, audição, vidência, psicofonia, cura, psicografia, efeitos físicos, desdobramento, eis faculdades que passou a exercer com a responsabilidade de quem entendia a própria missão. 
 
 
Em pouco tempo o seu amor pelos semelhantes a tornou conhecida e procurada pelos necessitados de toda a sorte, que encontravam na sua presença o alívio, o consolo e a cura.
 
 
Anita era muito solicitada nos casos de desaparecimento de pessoas. Ao se inteirar do nome daquele que estava sendo procurado, fechava os olhos e com toda a naturalidade descrevia a pessoa desaparecida e o local onde se encontrava. 
 
 
Quando havia um afogamento no rio Pomba, o Sr. Durval, velho canoeiro do Porto, ia primeiro ao encontro dela para que descrevesse a posição do corpo e o lugar em que estava.
Desde que se tornou espírita, pouco antes do desencarne de Abel Gomes, ocorrido em 1934, Anita passou a freqüentar com assiduidade a Cabana Espírita Abel Gomes, que funcionava com outro nome, porque esse só lhe foi dado após a desencarnação de Abel.
 
 
Em 1950, Anita não estava fisicamente bem. Com 11 filhos e inúmeros afazeres, seu estado de saúde agravou-se com o surgimento de uma nova gravidez, o que não a impediu de continuar suas tarefas no lar e no Centro.
 
 
No dia 8 de maio de 1950, à noite, seu coração não resistiu e Anita partiu, contando somente 41 anos de idade e deixando uma lacuna enorme no movimento espírita da cidade, onde já funcionava, além da Cabana, a Fundação Espírita Abel Gomes, o lar para meninas órfãs construído sob a sua inspiração.
 
 
Em Londrina, Astolfo Dutra, Cataguases e Leopoldina existem Casas espíritas que trazem no seu frontispício o nome Anita Borela de Oliveira, que foi também dado ao Círculo de Leitura mantido pela Comunhão Espírita Cristã de Londrina desde o mês de junho de 1996.
 
Fonte: Rádio Boa Nova

Therezinha Oliveira

Emma Hardige Britten

Silvino Canuto Abreu

Zilda Gama

Umberto Brussolo

Adelaide Câmara

Silvino Canuto Abreu

Inácio Bittencourt

Carlos Imbassahy

Deolindo Amorim

Corina Novelino

Arthur Conan Doyle

Yvonne A. Pereira

Eurípedes Barsanulfo

Gabriel Delanne

Manuel Viana de Carvalho

Léon Denis

José Herculano Pires

Cairbar Schutel

Anália Franco

Camille Flammarion

Chico Xavier

Adolfo Bezerra de Menezes

Divaldo Pereira Franco

Raul Teixeira

William Crookes

© Sociedade Espírita Caminho de Damasco (Santa Rosa - RS) - Sítio Eletrônico